Fim roubos bancos e carros forte

Imagine que ocorra um roubo a um carro-forte durante um transporte de valores.

Os ladrões fogem contentes com o produto do roubo, vários milhares de Reais, todas notas usadas, de valores diversos e fáceis de serem utilizadas.

No entanto, ao tentar depositar o valor roubado o dinheiro não é aceito, pois é considerado “sem valor comercial”. Ok, então que tal gastar em um supermercado ou loja? O resultado é o mesmo: Dinheiro sem valor comercial, não pode ser aceito no comércio.

É claro que isso será um enorme desistímulo ao roubo pois o produto não poderá ser utilizado em lugar algum, sendo marcado como “sem valor comercial” como se fosse uma cédula falsa e, ainda por cima, ser passível de identificação automática, seja por uma máquina contadora de cédulas quanto, até mesmo, por uma gaveta de supermercado ou caixa.

Essa realidade não está tão distante e nem ao menos é de difícil implementação, pois bastaria uma fita RFID similar às já utilizadas hoje nas notas de 20 e 50 reais para que essa identificação dinâmica seja possível.

Quer ver mais sobre uso do RFID em dinheiro? Acesse http://brasil.rfidjournal.com/notas-do-editor/vision?16744