SAT x NFC-e

Afinal de contas, por que eu preciso de SAT se posso emitir Nota Fiscal Eletrônica?
Na verdade você precisa ter apenas um SAT e gerar o CSC, o Código de Segurança do Contribuinte. A partir daí você pode utilizar apenas a NFC-e para vender seus produtos de forma legal.
No entanto há uma necessidade ainda que pode tornar-se crítica: Em caso de contingência, no caso de seu link de Internet cair ou no caso dos servidores seus ou da Sefaz, como fazer para emitir NFC-e? Nesse caso, somente com o SAT você pode continuar faturando pois é um dispositivo eletrônico que funciona mesmo offline, ou seja, sem conexão com a Sefaz.
É claro que a NFC-e é um documento eletrônico de validade jurídica garantida por assinatura digital utilizado nas operações comerciais de venda presencial, ou venda para entrega em domicílio, ao consumidor final.
Lembre que a emissão de NFC-e pode ser adotada como alternativa ao Sistema Autenticador e Transmissor (SAT), desde que o link de Internet e a conversação com os servidores estejam ativos. Em caso de contingência a SEFAZ/SP não disponibilizou ao contribuinte a opção offline, somente o SAT.

 

Cupom Fiscal Eletrônico – CFE
Danfe NFC-e
SAT – CFE
Ah, não se esqueça de que a NFC-e também substitui a Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2 E o Cupom Fiscal emitido por equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF).
Para utilizar esta solução, o contribuinte deve estar com a Inscrição Estadual regular, solicitar o credenciamento e a Autorização de Uso junto a Secretaria da Fazenda.
Será necessário também obter o certificado digital no padrão ICP-Brasil, contendo o CNPJ do estabelecimento, modelos A1 ou A3.
O varejista pode utilizar em seu PDV para emissão de NFC-e um software desenvolvido ou adquirido no mercado, sem necessidade de homologação para a emissão do documento, o que é um grande atrativo pela facilidade e flexibilidade gerada, sem interventor técnico, podendo ativar e desativar seus PDVs conforme a demanda, um modelo totalmente inviável com o antigo ECF.
Mas antes de emitir, é necessário solicitar o Código de Segurança do Contribuinte (CSC) pelo portal da NFC-e: www.nfce.fazenda.sp.gov.br, isto somente é possível, depois de ter um SAT ativo. Se isso não for feito, o contribuinte fica sem opção de NFC-e.
 
Veja que após ter adquirido um SAT e ativado e gerado o CSC, você pode emitir NFC-e, o que facilita o controle e gerenciamento em vários sistemas.
Agora, havendo ocorrência de contingência decorrente problemas no estabelecimento ou de conexão com a Fazenda, o lojista deverá recorrer ao Sistema Autenticador e Transmissor (SAT) para as operações da loja que estiver adotando o NFC-e.
Nos demais pontos-de-venda que já existem você poderá emitir o cupom fiscal por ECF, enquanto esse não tiver a obrigatoriedade suspensa.